Queimadura solar é super comum nessa época de verão.

Quem nunca perdeu a hora sob o sol e/ou esqueceu de (re)aplicar o protetor solar e acabou virando camarão?

Hoje, eu sou bem consciente. Quando saio ao sol, tomo meus cuidados para não sofrer com as queimaduras. Mas, às vezes, estamos apenas batendo um papo em algum lugar na cidade mesmo e acabamos com manchas nos braços e pescoço.

Pensando nisso trouxe essa artigo hoje, enviado pela
Dra. Maria Paula Del Nero da Sociedade Brasileira de Dermatologia, com dicas para ajudar no alívio à queimadura solar:

O que é queimadura solar?

“A queimadura solar é caracterizada por uma inflamação que pode apresentar-se como mancha avermelhada ou mesmo bolhas no local acometido. Seus sintomas são dor, queimação, ardência, pinicamento, mudança de textura da pele e, às vezes, bolhas. O aparecimento delas está ligado à profundidade e à gravidade da queimadura.

Dra. Maria Paula explica que as queimaduras de sol são classificadas em três graus:

  • queimaduras de sol de primeiro grau– atingem a camada mais superficial da pele (a epiderme); quando ocorrem, causam avermelhamento (mancha escura);
  • queimaduras de sol de segundo grau – atingem a epiderme e parte da derme mais profunda. É comum que a pessoa sinta dor, tenha inchaço e que forme quase bolha ou bolha superficial; e
  • queimaduras de sol de terceiro grau– atingem a camada mais profunda da pele. Esse caso é o mais grave com formação de bolhas e exigem tratamento/cuidados médicos especiais.

O que fazer nos casos de queimadura solar de primeiro e segundo grau:

  1. Lave a pele com água mais fresca;
  2. Borrife água termal ou faça compressa com chá de camomila gelado;
  3. Aplique cremes calmantes indicados por seu dermatologista.” Prefiro cremes que tirem o vermelhão e a ardência mas que não são corticoide.” Completa a médica.
  4. Aplique cremes cicatrizantes (também indicados por dermatologista) para evitar que se forme bolhas;
  5. Use um filtro solar mais potente e lembre-se de reaplicar se for se expor novamente ao sol;
  6. Comecei a descascar?! A dermatologista indica não puxar a pele solta! “A troca da superfície danificada por uma nova é mais sensível e deve ocorrer de forma natural para evitar marcas”, explica. Esfolie a região levemente até duas vezes por semana e capriche na hidratação do corpo.”

Pauta enviada por Up Date Comunicação

Fonte da foto aqui

Queimadura química solar

Observação:

  1. Vale ressaltar aqui os perigos da queimadura química por exposição solar. É aquela causada por contato com alimentos ou produtos que, após exposição solar, reagem quimicamente causando manchas escuras ou queimaduras leves e/ou graves. A queimadura mais comum no verão é a causada pelo limão e outras frutas cítricas como caju, abacaxi, entre outros. Outras queimaduras podem ser causadas pelo uso de cosméticos como perfumes, cremes, ácidos e maquiagem. Portanto, todo cuidado é pouco. Evite o uso de qualquer cosmético quando for se expor ao sol, aplicando na pele apenas o protetor solar. Evite o manuseio de frutas cítricas ou produtos derivados das mesmas como picolés, sucos, drinks.. Se for necessário o contato, lave bem as mãos, braços e rosto antes de ir para o sol.
  2. Alguns pontos do corpo são esquecidos na hora de aplicar o protetor solar e depois de queimados atrapalham muito a vida diária: orelhas, nunca, careca, peito do pé, debaixo dos braços, entre as pernas. Essas áreas devem receber o protetor e também a reaplicação do produto.
  3. Algumas pessoas sofrem queimaduras nas pálpebras superiores. Como essa área é delicada e muitas vezes não podem receber o protetor, pois pode causar irritação nos olhos, não se esqueça dos maxi óculos de sol e do maxi chapéu. Eles fazer uma proteção física contra os raios.

Fotos: reprodução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *