A suspeita de hipotiroidismo foi um dos motivos que fui atrás de uma médica endocrinologista. Foi assim que conheci Dra. Bruna Marisa que me acompanha desde novembro de 2019. Ao final, não era hipotireoidismo, mas um desequilíbrio hormonal devido a vários fatores. Dentre eles, a histerectomia total e a proximidade da menopausa. No meu acompanhamento faço exames a cada 3 meses para medir os hormônios e os níveis de vitaminas, minerais e outras substâncias importantes para o bom funcionamento do organismo.

Hipotiroidismo: doença silenciosa que atrapalha a qualidade de vida.

Por isso, quando vi essa pauta da Dra. Bruna, logo quis compartilhar com vocês. Ela fala sobre o assunto de forma clara e objetiva. Vem conosco.

“Se você se sente muito fadigada e, se mesmo dormindo a noite toda, ainda
acorda cansada e sem ânimo; se você percebe que seu cabelo está caindo, suas unhas estão fracas; sua menstruação está irregular, sua pele está seca; seu intestino vive preso; e você está acima do peso, atenção: Você pode ter Hipotiroidismo.

O que é o hipotiroidismo ou hipotireoidismo

O Hipotireoidismo é uma disfunção da tireoide, glândula do sistema endócrino, localizada no pescoço. A tireoide é reguladora de hormônios e de órgãos importantes do nosso corpo como fígado, rins, coração e cérebro.
A hipófise é uma pequena glândula, localizada na base do nosso cérebro, responsável pela produção do hormônio estimulante da tireoide (TSH), que induz naturalmente a tireoide a produzir T3 e T4. O hipotiroidismo, muitas vezes associado ao ganho de peso, é caracterizado pela queda ou pela não produção da triiodotironina (T3) e tiroxina (T4).

Principais causas do hipotireoidismo

A maior causa de Hipotireoidismo é doença de Hashimoto. Essa é uma doença auto imune, onde o próprio organismo, por motivos desconhecidos, produz anticorpos que atacam a glândula tireoide. Por isso ela passa não conseguir produzir hormônios como deveria tornando suas doses insuficientes, causando os sintomas acima mencionados.

Hipotiroidismo: tudo que você precisa saber por Alessandra Faria

Como fazer o diagnóstico

O diagnóstico é laboratorial, através de exame de sangue. Pelo exame serão
medidos os níveis de hormônios circulantes da tireoide: o T3 e o T4 livre, que é o hormônio ativo na corrente sanguínea e o TSH que é o hormônio hireoestimulante. “Quando há um problema na tireoide, o qual a impede de secretar o T3 e T4, ou uma alteração na hipófise que inibe a secreção do TSH e, consequentemente, a produção dessas substâncias, temos então o
hipotireoidismo”. Explica a Dra. É por isso que o organismo e o metabolismo vão ficando cada vez mais lentos. Afinal, os hormônios tireoidianos são responsáveis pelo metabolismo do corpo inteiro.

Quem pode ter hipotiroidismo

Apesar de ser mais comum em mulheres a partir dos 50 anos, o hipotiroidismo pode acontecer em qualquer pessoa independente de idade ou gênero. Pode ocorrer, inclusive em recém-nascidos – o chamado hipotireoidismo congênito, diagnosticado através do “Teste do Pezinho“. Esse teste deve ser feito entre o terceiro e o sétimo dia de vida do bebê.
Havendo resposta positiva ao hipotireoidismo congênito, o tratamento precisa ser iniciado imediatamente, a fim de evitar consequências, entre elas o retardo mental do bebê.

Como é feito o tratamento

Apesar de ser uma doença incurável, o tratamento do Hipotireoidismo é
simples e consiste na reposição do hormônio tireoidiano que é usado em
comprimidos e possui várias dosagens. “O grande desafio do tratamento está em encontrar a dose certa para cada paciente. Uma vez encontrada a dose certa para o paciente, os níveis de TSH se mantém. Assim, a pessoa pode levar uma vida completamente normal e saudável. Mas se não for corretamente tratado, o hipotiroidismo causa aumento nos níveis de colesterol, que vão aumentar os riscos de problemas cardíacos e pode acarretar uma redução significativa da performance física e mental do
adulto” – diz a Dra. Bruna Marisa.”

Sobre a Dra. Bruna:
Dra Bruna Marisa é médica, pós graduada em Endocrinologia, membro da
Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, atua na área de
Medicina Esportiva, Ortomolecular e é Especialista em Emagrecimento.

Fotos: reprodução.