Alessandra Faria Estilo e Maquiagem

Blog de BH, sobre moda e beleza, maquiagem e life style.

‘Beleza’ Category

7
jun
2017

Cabelos escuros inverno 2017!

cabelos_escuros_inverno_2017_dark_chocolate_brown_hair_por_alessandra_faria

Olá Queridas e Queridos!

Os cabelos escuros sempre são tendência de beleza nas estações mais frias do ano! Nesse inverno 2017 o cabelo castanho escuro já virou febre e tem muita gente deixando o loiro de lado.

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_por_alessandra_faria

Se no verão as mulheres correm atrás de cabelos loiros e iluminados, no inverno, elas acabam cedendo aos fios escuros em tons que variam do cabelo loiro escuro ao cabelo castanho escuro, passando pelos tons de ruivo e pelo cabelo castanho médio.

Nesse outono inverno 2017 a mulherada tem aderido aos tons bem mais escuros das madeixas. Inclusive de forma chapada, ou seja, sem mechas de iluminação nem mesmo próximo ao rosto. A cor do momento para essa coloração é o dark chocolate brown hair.

cabelos_escuros_inverno_2017_dark_chocolate_brown_hair_por_alessandra_faria2

cabelos_escuros_inverno_2017_dark_chocolate_brown_hair_por_alessandra_faria3

Particularmente, prefiro as morenas iluminadas, pois os cabelos escuros muito chapados podem gerar sombra no rosto e fechar o semblante da usuária, deixando-a com aspecto muito sério e mais senhoril. Sim, cabelos escuros envelhecem um pouco a imagem. As morenas iluminadas não são a tendência mais forte do momento, mas continuam tendo vez. Afinal, temos que optar por aquilo que vai nos valorizar, concordam?

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_por_alessandra_faria6

Mas, a tendência em cabelo castanho escuro que mais amei nesse inverno é o mix de tonalidades. O colorista mistura algumas tintas em tonalidades diferentes e chega a um tom único, personalizado. Perfeito para seu rosto e tom de pele. Claro que para chegar ao tom de castanho perfeito, o colorista tem que ser muito experiente e ter uma base de visagismo em sua formação. Foi o que aconteceu com a transformação das madeixas de Lalá Noleto. A blogueira e digital influencer aderiu aos cabelos castanhos e ficou maravilhosa. Veja como a cor realçou seus olhos esverdeados (nunca tinha percebido a beleza de seus olhos) e a cor da pele.

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_de _lala_noleto_por_alessandra_faria4

Cabelos castanhos com nuances avermelhadas também estão em alta e são uns dos meus preferidos. Mas, os tons amendoados, que tornam os castanhos mais quentes, também tem seu lugar no inverno.

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_por_alessandra_faria5

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_por_alessandra_faria4

cabelos_escuros_inverno_2017_cabelo_castanho_médio_por_alessandra_faria3

Acabei de refazer minhas mechas. Mas estou me rendendo aos cabelos castanhos. Será que volto às minhas origens?

Fotos: reprodução.

6
jun
2017

Termogênicos naturais driblam efeitos colaterais dos industrializados!

termogênicos_naturais_driblam_efeitos_colaterais_dos_industrializados4

Olá Queridos e Queridas!

Os termogênicos são alimentos ou substâncias que ajudam a potencializar os treinos, aceleram o metabolismo e são aliados dos praticantes de exercícios e treinos em academias.

termogênicos_naturais_driblam_efeitos_colaterais_dos_industrializados2

Um dos grandes problemas de atletas que iniciam os treinos nas academias é a adaptação aos termogênicos industrializados. Palpitações, dores de cabeça e problemas imunológicos podem ser alguns dos efeitos colaterais desses suplementos. Uma solução para quem é mais sensível a esses produtos pode ser natural e acessível.

Segundo o médico Theo Webert que atua em nutrologia e reequilíbrio corporal em São Paulo, Rio e Brasília, em receitas acompanhadas, alimentos naturais como o óleo de coco, café, pimenta vermelha, chá verde, canela, gengibre e alho são excelentes substitutos dos industrializados para pré-treino.

termogênicos_naturais_driblam_efeitos_colaterais_dos_industrializados3

Óleo de coco e café, por exemplo, é uma ótima opção para ser consumida antes do treino, pois melhora bastante a performance e oferece ação termogênica, que ajuda no emagrecimento”, afirma. A bebida passa a estimular o seu sistema nervoso, por responsabilidade do óleo de coco, cheio de gorduras boas que auxiliam também no controle da sua fome. “O ideal é que a bebida seja consumida uma vez ao dia, se possível pela manhã e, não leva nenhum tipo de açúcar ou adoçante”, sugere.

O médico explica que por ser natural, a receita evita por exemplo palpitações, pressão arterial alta ou até um ataque cardíaco. “Termogênicos industriais podem te levar da euforia à depressão rapidamente. Irritações ficam mais frequentes e pessoas ansiosas, depressivas ou com transtorno bipolar são mais suscetíveis a esses efeitos colaterais específicos”, diz.

Outros alimentos naturais podem surtir o mesmo efeito dos termogênicos, sem os problemas geralmente relatados pelos usuários. “A pimenta-vermelha, o chá-verde, o gengibre, a canela e o alho são alimentos ricos e com propriedades de elevar a temperatura corpórea, acelerar o metabolismo, produzir energia e fornecer saúde”, informa o médico.

O médico lembra ainda que qualquer um desses alimentos naturais auxiliam e muito o sistema imunológico. “Com termogênicos convencionais, a imunidade fica prejudicada basicamente como consequência da irregularidade no sono que os termogênicos causam. Não dormir direito acarreta em vários males, entre eles te deixar fraco e doente”, finaliza.

Vale ressaltar que como em qualquer dieta, é fundamental que o paciente procure o auxílio de um profissional especializado antes de aderir à qualquer tipo receita. “Esses alimentos devem ser consumidos com cautela por pessoas com restrições médicas, já que não são indicados para quem tem problemas de hipertensão, problemas cardíacos, intestinais, disfunções na tireóide, úlceras ou insônias, por exemplo”, elenca.

Pauta enviada por Objetiva Assessoria de Imprensa, com alterações da autora.

Fotos: reprodução.

1
jun
2017

Alopecia pos parto e pos cirurgia bariátrica!

Olá Queridas e Queridos!

A alopecia pos parto e alopecia pos cirurgia bariátrica são comuns na maioria das pessoas que passam por estas ocorrências.

alopecia_pos_parto_alopecia_pos_bariatrica

A alopecia pos cirurgias é muito comum. No caso da recuperação pos parto ela pode ocorrer em aproximadamente 50% das novas mamães e no caso da pos bariátrica ocorre em 70% dos pacientes. Apesar da grande diferença entre parto e cirurgia bariátrica, e algumas diferenças de causa, as duas tem algo em comum: insuficiência de alguns nutrientes.

A alopecia pos parto ocorre principalmente devido às grandes alterações hormonais pelas quais passam o organismo da mulher durante a gravidez, o parto e logo após o mesmo. Existem também as alterações anatômicas e fisiológicas. O útero tem seu tamanho aumentado e volta ao normal. Todos os órgãos saem do lugar e vão se reorganizando após o parto. Além disso, a mãe passar pela recuperação do parto que, independente da modalidade, sempre causa perda significativa de sangue, sais minerais e nutrientes. A alopecia pos parto pode acontecer a partir do terceiro ou quarto mês e durar até um ano. Porém, cada caso é um caso. Eu tive queda de cabelo até dois anos após o nascimento da minha caçula.

alopecia_pos_parto_alopecia_pos_bariatrica2

A alopecia pos bariátrica é uma complicação muito comum da cirurgia. De acordo com a médica tricologista, especialista em cabelos, Cristiane Câmara Alves, isso acontece porque as alterações anatômicas e fisiológicas geradas pela cirurgia prejudicam as vias de absorção e/ou ingestão alimentar, provocando a má absorção de nutrientes que são importantes para a nutrição do fio.

‘’A principal forma de diminuir a queda de cabelos após a cirurgia bariátrica é consumir alimentos ricos em proteínas como leite, carnes, clara de ovo, queijos brancos, cereais integrais, castanhas, feijão, grão de bico, ervilhas e bastante água. Além de alimentos repletos de zinco como carnes de vaca, amendoim e legumes. Tudo de acordo com a fase de dieta que o paciente esteja’’, explica Cristiane.

alopecia_pos_parto_alopecia_pos_bariatrica3

Nem todos os pacientes que fazem a cirurgia tem queda de cabelos após o procedimento, mas uma boa porcentagem, em torno de 70% deles, acabam desenvolvendo este quadro. Este fato ocorre geralmente entre o terceiro e quarto mês após a redução de estômago e se estende até o oitavo e, é motivado pela rápida perda de peso que faz com que o organismo economize na produção de proteínas, zinco e nutrientes fundamentais para a manutenção dos cabelos.

O estresse pelo qual passa uma mulher pós parto ou um paciente pós bariátrica também pode ser um fator desencadeador. Algumas mulheres podem apresentar depressão pós parto, que pode potencializar o problema. “Uma pessoa com um quadro de má nutrição apresenta deficiência de proteínas, vitaminas e minerais, componentes que são fundamentais no crescimento, estrutura e coloração dos cabelos. Nos pacientes bariátricos, sem um adequado acompanhamento multidisciplinar, isso pode acontecer com mais frequência’’, conta a médica tricologista.

Em ambas situações é necessário um bom acompanhamento médico. Esse irá indicar quais profissionais multidisciplinares são mais indicados para cada caso como nutricionista, psicólogo, entre outros.

Parte da pauta enviada por Arrojada Comunicação e Marketing

Sobre Cristiane Câmara Alves (CRM 50504): médica graduada pela Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS), concluiu também o curso de Transplante Capilar no Instituto Bauman Medical Group, P.A, nos Estados Unidos. Atualmente, Dra. Cristiane atende seus pacientes na Clínica Pampulha (CRM 0009113 – MG), onde exerce ainda o cargo de diretora clínica, ao lado do responsável técnico pela instituição, Dr. Júlio César Alves (CRM 13337 | RQE 40860).

Fotos: reprodução.