Alessandra Faria Estilo e Maquiagem

Blog de BH, sobre moda e beleza, maquiagem e life style.

‘Beleza’ Category

23
jun
2017

Chá de limão e gengibre para melhorar sintomas da gripe!

Olá Queridas e Queridos!

Chá de limão e gengibre é um ótimo companheiro para o inverno e para melhorar os sintomas da gripe ou para quem deseja acelerar o metabolismo.

chá_de_limão_e_gengibre_para_resfriado_acelerar_metabolismo_por_alessandra_faria2

Com a chegada das baixas temperaturas somada à pouca umidade do ar, o inverno é um tempo propício para o aparecimento de gripes, resfriados, infecções das vias aéreas e alergias. Aqui em casa sofremos um pouco com isso, pois todos temos rinite.

Algumas dicas são valiosas nessa época como a hidratação, que a gente muitas vezes reduz no inverno. Deixar a casa aberta o máximo possível para ventilar e circular o ar. Lavar sempre as mãos. Se alimentar bem, incluindo proteínas na dieta. Evitar locais muito cheios e evitar proximidade de pessoas gripadas.

Mas, se apesar de tudo isso ainda assim o resfriado te pegar, é bom fazer alguns procedimentos para aliviar os sintomas. Um deles é se manter aquecido. Usar meias e alimentos quentes ajuda um pouco. É aí que entram os chás que nossas mães e avós costumavam fazer para nós.

Aqui em casa, uso muito o chá de limão e gengibre. O limão é fonte de vitamina C e o gengibre é um alimento termogênico que além de elevar a temperatura corporal, ajuda a acelerar o metabolismo. Além disso, o chá de limão e gengibre é diurético o que ajuda a melhorar a retenção de líquidos, aparecimento de celulite e ainda turbina o sistema imunológico. Eu uso com uma certa frequência e gosto de acrescentar canela e hortelã ao meu chá. Tomo com 3 gotas de adoçante, mas para o resfriado, pode-se acrescentar mel.

chá_de_limão_e_gengibre_para_resfriado_acelerar_metabolismo_por_alessandra_faria

Receita de chá de limão e gengibre.

Ingredientes:

  • 1 xícara de água filtrada;
  • 1 rodela de gengibre;
  • 1 limão espremido.

Modo de preparo:

Leve a água para aquecer até criar bolhas de ar. Em seguida, coloque a rodela de gengibre (eu ralo um pouco do gengibre para soltar mais o gosto) e deixe por 5 minutos. Coe e esprema o suco de limão. Adoce com mel e sirva em jejum.

Uso com uma certa frequência e gosto de acrescentar canela e hortelã ao meu chá. Tomo com 3 gotas de adoçante, mas para o resfriado, pode-se adoçar com mel.

Vocês já sabem, né? Se os sintomas da gripe ou resfriado persistirem deve-se procurar um médico, pois a gripe pode trazer complicações.

Fotos: reprodução.

21
jun
2017

5 Cuidados com a pele durante o inverno!

Olá Queridas e Queridos!

Cuidados com a pele durante o inverno devem ser redobrados para se evitar o ressecamento excessivo!

cuidados-com-a-pele-no-inverno

Uma coisa importante que aprendi na minha vida acadêmica e pela minha experiência pessoal é que uma pele bonita e radiante é fruto de muita hidratação e proteção. Dois dos cosméticos mais eficazes para evitar o envelhecimento precoce e alguns problemas de pele são o hidrante e o protetor solar. Portanto, não fico sem esses produtos na minha rotina de cuidados com a pele.

No inverno esses cuidados devem ser redobrados e até alguns hábitos na sua rotina diária devem ser mudados ou inseridos. O clima frio e a baixa umidade do ar são propícios para o ressecamento excessivo, aparecimento de rachaduras e agravamento de problemas como dermatites e até a psoríase, por exemplo.

cuidados-com-a-pele-na-adolescência

Para nos ajudar com esses cuidados com a pele trouxe hoje algumas dicas de hábitos e produtos ideais da dermatologista e consultora da Netfarma, Dra. Maria Paula Del Nero, para manter a pele permanentemente hidratada, principalmente nas estações frias e secas do ano.

Não abra mão do protetor solar: Muitas pessoas acham que esse item é dispensável na ausência de sol ou calor, mas, na realidade, o que ocorre é exatamente o contrário. “O uso do protetor solar é imprescindível em qualquer época do ano, pois além de filtrar o efeito da radiação ultravioleta (UV), ele oferece uma camada a mais de hidratação à pele. E para o rosto, tanto no frio quanto no calor, deve-se utilizar um fator de proteção maior do que 15”, salienta Dra. Maria Paula.

Evite banhos muito quentes e prolongados: Os minutos a mais no chuveiro, principalmente em água com temperatura superior à do corpo, ou seja, acima de 36,5ºC, podem retirar a camada de gordura da pele, que também tem efeito protetor e mantenedor da oleosidade natural. “Esse ressecamento provocado pelos banhos quentes é ainda mais agudo quando combinado ao uso excessivo de sabonetes”, comenta a consultora da Netfarma.

Use o sabonete corretamente: Tanto a aplicação demasiada quanto a escolha inadequada do tipo de sabonete a ser usado no inverno podem irritar e ressecar a pele. “Para pessoas com a pele naturalmente seca, são indicadas as formulações neutras, glicerinadas, hidratantes, compostas por óleos vegetais ou as versões líquidas, que tendem a ser menos ácidas e, portanto, menos agressivas”, afirma a dermatologista. – Aqui na minha casa, usamos sabonete de bebê desde quando minha primeira filha nasceu. São sabonetes bem mais suaves que os normais, excelentes para quem tem a pele sensível.

Hidrate bem a pele após o banho: Em geral, os hidratantes e loções devem ser aplicados logo após o banho, quando os poros estão abertos e, portanto, os produtos podem agir com mais eficiência. “Para que o hidratante penetre profundamente na pele, por meio da movimentação das estruturas mais superficiais da pele, deve-se aplicá-lo, no máximo, até três minutos depois de sair do chuveiro”, recomenda.Uma boa dica aqui é não enxugar a pele totalmente e aplicar o hidrante. Se você quiser turbinar seu hidratante, aplique algum tipo de óleo após o mesmo e espalhe bem. Aguarde alguns minutos antes de se vestir. Fiz isso durante toda minha gestação e foi um sucesso inclusive na prevenção de estrias.

Fuja dos tecidos alérgicos: Algumas roupas e até cobertores podem colaborar para o ressecamento e irritação da pele. O destaque vai para as peças produzidas com tecidos sintéticos, pois esses não oferecem boa transpiração e deixam o suor na pele, o que também pode eliminar a barreira de proteção da derme. Logo, ocorre a vermelhidão, sensibilidade e o ressecamento. “Os tecidos que melhor absorvem o suor são os naturais e o Dry Fit”, conclui.” Fonte: Agência Comunicado.

Fotos: reprodução.

12
jun
2017

Microagulhamento: saiba tudo sobre o dermaroller!

microagulhamento_uso_do_dermaroller_na_medicina_estética_por_alessandra_faria4

Olá Queridas e Queridos!

O microagulhamento é um dos tratamentos estéticos mais comentados ultimamente!

O microagulhamento ou indução percutânea de colágeno é um procedimento que visa ativar as células regeneradoras da pele através de pequenos traumas causados por micro-agulhas do aparelho chamado dermaroller. O tratamento é utilizado para rejuvenescimento e outros tratamentos faciais como melasma, estrias e cicatrizes de acne.

microagulhamento_uso_do_dermaroller_na_medicina_estética_por_alessandra_faria

Eu estou fazendo o tratamento com demaroller na Bela Clínica Médica com o dr. Ralf Jurgen Spies. O resultado é incrível. Passado o período de vermelhidão, a pele renasce maravilhosa. Minhas linhas finas de expressão quase desapareceram e meus poros estão bem fechados. A minha acne tardia melhorou consideravelmente e se encontra sob controle. O último tratamento que estamos terminando é o melasma que está um pouco resistente.

Eu fiz uma entrevista com o Dr. Ralf para esclarecer tudinho para vocês sobre a técnica de microagulhamento. Confiram.

– Quais problemas de pele podem ser tratados com o microagulhamento?

Ele pode ser usado para o rejuvenescimento, tratamento de cicatrizes de acne e outras, fechamento de poros, flacidez de pele, tratamento de manchas como o melasma, estrias e tratamento capilar. Cada indicação utiliza uma adaptação específica da técnica e aparelhos. O tamanho da agulha também é fundamental para um bom resultado. Ele varia desde nanômetros até 3mm.

microagulhamento_uso_do_dermaroller_na_medicina_estética_por_alessandra_faria2

– O tipo de problema interfere na escolha do tamanho da agulha?

Cada problema ou alteração da pele tem uma agulha indicada que vai variar com a camada da pele e estrutura a ser atingida, que pode mudar mesmo com o mesmo diagnóstico. Como exemplo: o melasma pode estar localizado na epiderme(superficial), derme(mais profunda) ou posso direcionar o tratamento para a camada basal que fica entre os dois. Para alguns tipos de melasma é necessária até uma intervenção mais profunda quando existem fatores vasculares predominantes. Outros problemas também podem ter variações no tratamento.

– Em quantas aplicações já se podem notar os resultados?

Varia com a indicação, mas no geral a partir da 3a sessão, quando o tratamento é feito em intervalos corretos, já é possível se observar uma grande melhora do problema. O tratamento por de ser feito no espaço entre 15 a 30 dias, em alguns casos pode ser semanal ou até bimestral. O microagulhamento pode ser utilizado sozinho, mas os resultados são maximizados quando utilizadas medicações específicas para cada caso.

– O microagulhamento pode ser realizado em casa?

Por ser considerado um procedimento invasivo(que ultrapassa a epiderme), a legislação brasileira proíbe a realização destes procedimentos por não médicos. Apesar disto, alguns profissionais de outras áreas, vêm utilizando o aparelho, por autorização isolada dos conselhos de classe e liminares, até manifestação da justiça em contrário.

No Brasil a Anvisa não recomenda a venda ou uso dos rolos para uso profissional não médico. Alguns países autorizam o uso de agulhas que não atravessem a barreira da epiderme para uso doméstico ou não médico, mas os próprios fabricantes alertam que o aparelho não deve ser usado desta forma, para evitar possíveis complicações.

– Quais efeitos colaterais podem trazer o uso da técnica se usada de forma incorreta?

Quando bem realizada por profissional médico treinado, a chance de complicações é muito pequena e é considerada uma técnica extremamente segura. O maior risco está no desconhecimento da fisiologia do organismo, capacidade de identificar e diagnosticar alterações específicas da pele, doenças que interfiram no tratamento, desconhecimento de técnicas cirúrgicas de assepsia, e uso de aparelhos de baixa qualidade.

Aparecimento de vermelhidão, inchaço ou sensibilidade, que geralmente desaparecem em poucos dias, não são considerados efeitos colaterais ou complicação, mas parte do tratamento.

Como complicações mais comuns, podem aparecer lesões de herpes em quem já manifestou a doença, vermelhidão persistente e infecções. Quando realizada de forma errada, todas as possíveis complicações aparecem com muito maior freqüência, intensidade, e gravidade, incluindo formação de cicatrizes, manchas, necroses, infecções da pele, septicemia, choque, etc.

– Podem-se usar cosméticos logo após a execução da técnica como filtro solar, cremes de tratamento e/ou maquiagem?

No geral deve-se evitar o uso de cremes, maquiagens, sabonetes inadequados para o pós procedimento, por pelo menos 48 horas, a não ser que recomendadas especificamente pelo médico. Após o procedimento a pele se encontra “aberta” para a penetração de agentes que de outra forma não atravessariam a pele, por isso, reações a cremes e cosméticos podem acontecer, mesmo que já os utilize a muito tempo.

microagulhamento_uso_do_dermaroller_na_medicina_estética_por_alessandra_faria3

– O procedimento é doloroso?

A dor é uma sensação individual que varia enormemente de pessoa para pessoa e até mesmo de dia para dia, dependendo de fatores orgânicos e emocionais. Geralmente tolera-se bem o procedimento, apesar de não ser considerado indolor, mas, pomadas anestésicas modernas de uso médico restrito podem diminuir consideravelmente, ou até totalmente a dor do procedimento. Estas pomadas são seguras se observados as técnicas corretas de aplicação e a ausência de contra indicações.

– Quais as contraindicações do uso do dermaroller?

Doenças cardíacas descompensadas, diabetes descontrolado, infecções de pele, insuficiências de cicatrização por fatores específicos, doenças do colágeno e gravidez. Além de contraindicações específicas das medicações utilizadas.

Fotos: reprodução.

As imagens utilizadas nesse post são meramente ilustrativas. São imagens salvas através de pesquisa no Google. Caso você encontre uma imagem de sua autoria entre em contato para retirada da mesma ou para indicação dos devidos créditos.