• Saiba mais

Olá Queridas!

Escolher um novo par de óculos muitas vezes se torna um processo difícil, em alguns casos até sofrido. No post de hoje a marca de lentes Transitions traz 5 dicas para fazer este momento agradável.

Diana_dark

Sempre recebo muitas sugestões de pautas de várias assessorias de imprensa. Não sou de publicá-las aqui, primeiro porque gosto de escrever meus textos, segundo porque não vou ficar trabalhando de graça, concordam? Mas, às vezes, recebo pautas bem interessantes, como essa que me foi enviada pela Agência Ideal, representante das lentes Transitions, a qual passo para vocês.

O processo da escolha de um novo par óculos pode ser um momento muito divertido e prazeroso. Afinal, quem não gosta de entrar em uma ótica e experimentar os mais variados tipos de armações?  Porém, como é uma peça fundamental para seu cotidiano e saúde visual, a escolha deve ser cuidadosa e ir além da estética. Por isso, a Transitions Optical em parceria com uma oftalmologista e um esteta óptico, profissional que desenvolve armações, montou um passo a passo para ajudar na escolha do tipo de lente e de armação que melhor se adequa à necessidade de cada um.

Anna_Dark

  1. Consulte um oftalmologista

O oftalmologista avaliará sua saúde visual, fazendo um diagnóstico completo, e indicará o grau correto dos óculos. (também fará a verificação dos óculos após sua confecção – nota da autora)

  1. Escolha uma ótica de sua confiança.

Agora que você já sabe o que fazer para garantir sua saúde visual, é o momento de escolher seus óculos.   Lembre-se que a função principal dele é corrigir sua visão. Não é à toa que o esteta óptico, Miguel Gianinni, costuma utilizar a expressão “necessório” quando fala dos óculos. Segundo ele, antigamente, os óculos eram um aparelho corretor, “lutamos até chegarmos à época em que ele se tornou um acessório e hoje ele é um necessório”, brinca. Essa duplicidade “acessório necessário” é, na opinião de Gianinni, o que caracteriza esse item nos dias de hoje.

  1. Escolha primeiro a lente:

Aqui, deve-se salientar que se a escolha da armação é importante, é preciso ter ainda mais cuidado no momento de escolher as lentes. A médica oftalmologista Dra. Marcia Beatriz Tartarella alerta: “Antes de escolher a armação, deve-se verificar se ela é compatível com as lentes prescritas pelo oftalmologista, pois alguns tipos de lentes podem não ser adequados para todos os tipos de armações”. Portanto, é importante se informar sobre diferentes marcas e tipos de tratamentos, identificando o mais adequado ao seu perfil. Os tratamentos mais utilizados atualmente são antirreflexo e antirrisco. O antirreflexo diminui os reflexos indesejáveis e proporciona maior segurança ao dirigir à noite. O  antirrisco oferece uma maior proteção contra riscos nas lentes, o que representa maior durabilidade, além de diminuir a difusão da luz. A médica alerta ainda que as lentes devem ser resistentes à quedas e ter proteção ultravioleta.

As lentes de grau também devem ser escolhidas conforme a atividade profissional e as necessidades visuais de cada um. Atualmente, existem tecnologias que, além da correção, permitem controlar a luminosidade, como as lentes fotossensíveis. “Muitos profissionais trabalham em escritório, mas saem de carro para visitar clientes ou para almoçar. No dia a dia obteremos uma melhor performance e conforto visual com o uso de lentes fotossensíveis, que escurecem gradualmente conforme as condições de luminosidade”, observa a médica.  Ela complementa explicando que as lentes fotossensíveis têm 100% de proteção contra os raios UV e previnem os malefícios destas radiações, como a catarata e as degenerações de retina e mácula,  além de proporcionar melhor qualidade de visão na medida em que oferece contraste mais nítido das cores. (Geralmente, seu oftalmologista indica quais as lentes mais adequadas para seu caso).

  1.   Após a lente escolhida, é o momento de escolher a armação

O mais importante na escolha dos óculos é o perfil psicológico da pessoa. “A pessoa não pode se influenciar, tem de escolher aquele que realmente combina com a personalidade dela”, define Miguel Gianinni. Para pessoas introvertidas, por exemplo, a recomendação é brincar com cores pastéis. “Nesses casos, os óculos não podem falar mais alto que a própria pessoa”, explica. Para pessoas que, por vezes, têm de passar credibilidade por conta da profissão, por exemplo, a dica é escolher armações com mais textura, hastes um pouco mais largas e cores mais escuras, como preto.

Gianinni explica também que não existem especificidades de óculos para rosto comprido, rosto largo, o que importa é o centro de uma expressão. “Os óculos têm de vir em uma forma anatômica acima do nariz, a ponte tem de estar bem confortável”. Mas alerta que a única coisa que realmente deve ser respeitada são as sobrancelhas, que são o primeiro auxiliar da expressão. “As sobrancelhas devem estar totalmente livres, têm de abrir a expressão”, afirma. A exceção, segundo ele, são as linhas vintage: “esses olhos enormes”. São armações maiores, que cobrem o olho e a sobrancelha. Mas, ainda nesse caso, Gianinni afirma que a sobrancelha fica por dentro, mas não foi anulada. “O que elas não podem é ser anuladas”, ressalta. (Em outro post, falarei para vocês sobre armações e formato de rosto).

O esteta lembra que óculos são o único acessório que têm autonomia. A cor, por exemplo, não precisa combinar com a roupa, o sapato ou a bolsa, mas ele alerta que as pessoas que dependem de óculos devem ter um kit básico de dois ou três exemplares, para atender a diferentes situações cotidianas e o sociais. “As pessoas, às vezes, não gostam de óculos porque têm apenas um”, alerta.

  1. Manutenção

É preciso investir na manutenção dos óculos. “É importante consultar uma ótica a cada três meses no máximo para saber se os óculos estão bem alinhados”, explica Gianinni. De acordo com o esteta, se os óculos estão caindo, ou começam a ficar largos, aumenta o peso sobre o nariz. Por isso, é necessário consultar um profissional para que a distribuição fique correta e os óculos sejam confortáveis. Para finalizar, a Doutora Marcia Beatriz  destaca também a importância de não deixar o grau ficar defasado, pois isso pode causar sono ou cansaço na leitura. A recomendação da médica é ir a um oftalmologista regularmente.

Essas e outras dicas você encontra aqui.

Sobre a médica:

A professora e doutora Marcia Beatriz Tartarella é médica oftalmologista com doutorado e mestrado pela UNIFESP, onde fez sua graduação, residência e pós-graduação. É membro da diretoria da SOPLA – Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina e especialista em Catarata Congênita e Oftalmopediatria pela UNIFESP

Sobre o esteta óptico:  Miguel Gianinni

Dono da Ótica Fiore, sua primeira loja, Miguel colocou em prática uma ideia recorrente: “Se as pessoas têm características físicas tão diferentes, por que usar os mesmo modelos de armação”?  Com esse mote, Miguel mudou a forma de atendimento no País. Com dois alicates e uma lamparina, passou a transformar as armações convencionais em modelos exclusivos. Hoje, do cadastro de clientes das suas empresas fazem parte os ex-presidentes da república, Fernando Henrique Cardoso, governador Geraldo Alckmin, o jornalista Boris Casoy, os atores Marcos Caruso, Glória Meneses, Tarcísio Meira, Mel Lisboa, Denise Fraga, Marisa Orth, Mariana Ximenes e outros 500 mil nomes registrados em mais de cinqüenta anos de trabalho.

Para mais informações, acesse também nossas redes sociais:

facebook.com/TransitionsBrasil, instagram.com/transitions_br, twitter.com/transitions_br.

Sobre a Transitions Optical

A Transitions Optical é líder mundial na produção de lentes fotossensíveis (adaptáveis) para os fabricantes ópticos em todo o mundo. Em 1990, foi pioneira na fabricação e comercialização de lentes adaptáveis de resina. Como resultado do seu investimento contínuo em pesquisa e desenvolvimento tecnológico, a Transitions Optical oferece uma ampla variedade de produtos, estabelecendo novos parâmetros de performance em proporcionar cada vez mais conforto e proteção UV para a visão. Liderança de produto, foco no consumidor e excelência operacional fizeram da Transitions ® uma das marcas mais reconhecidas do ramo óptico. A Transitions Optical é ganhadora do Gallup “Great Workplace Award” em 2013. Para mais informações sobre a empresa e sobre as lentes Transitions, acesse: transitions.com.br

Fotos: reprodução.

2 Respostas para “5 dicas para escolher seus óculos com lentes Transitions!”

    1. Bom dia, Leonardo!
      Não sou especialista em óculos, mas acredito que sim, pois conheço muitas pessoas que usam essa lente independente do tipo de problema.

Comentários fechados.